PARANÁ

Senador Roberto Requião (MDB) Lidera Pesquisa Para Disputa ao Senado

autor Publicado em 29 de Junho de 2018

 

Senador Roberto Requião (MDB) Lidera Pesquisa Para Disputa ao Senado

 

O senador Roberto Requião (MDB) lidera pesquisa do Instituto Radar Inteligência para disputa ao Senado, com 25,9% do total de intenções de voto. Em segundo lugar está o ex-governador Beto Richa (PSDB), com 21,6%. Com esse resultado, Requião e Richa venceriam as eleições e ficaram com as duas vagas em disputa no Senado neste ano. 

O deputado federal Rubens Bueno (PPS) é o terceiro, com 16,4%, seguido do deputado federal Fernando Francischini (PSL), com 14,1%, e pelo ex-senador Flávio Arns (Rede), com 10,9%. A deputada federal Christiane Yared (PR) tem 7,6%; o deputado federal Alex Canziani (PTB), 6,2% e o professor Oriovisto (Pode), 5,2%. O ex-deputado federal Wilson Picler (PSL) foi citado por 2,7%. Outros 14,5% não souberam ou não quiseram opinar e 12,9% optaram por anular ou votar em branco. 

O registro da pesquisa Radar Inteligência no Tribunal Superior Eleitoral é PR-04595/2018. Foram ouvidas 1.494 pessoas entre os dias 19 e 24 de junho. A pesquisa tem um intervalo de confiança de 95,5% com margem de erro de 2,6% pontos porcentuais, para mais ou para menos. 

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) encaminhou para a 1ª Vara Criminal de Paranaguá, o inquérito que apura suspeitas de corrupção na concessão de uma licença ambiental pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) na gestão do ex-governador Beto Richa (PSDB), para a implantação de um pátio de caminhões, na BR-277. A obra, que envolvia a derrubada de 10 hectares de vegetação, foi alvo da Operação Sugeragui, em 2015, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual.

O caso vinha sendo tratado pelo STJ porque o governador tinha foro privilegiado. Com a renúncia de Richa em abril para disputar o Senado, o inquérito foi transferido para a Justiça Estadual. O inquérito foi aberto em abril de 2017, por decisão da ministra Nancy Andrighi, a pedido do então vice-procurador-geral da República, José Bonifácio Andrada, e posteriormente redistribuído para o ministro Herman Benjamin. Na investigação, o MP aponta que uma empresa supostamente ligada a Richa e sua família teria se beneficiado de fraudes na concessão das licenças ambientais. Na época em que o caso veio à tona, Richa negou qualquer irregularidade no processo. 

Alertada pelo Tribunal de Contas, a prefeitura de Pontal do Paraná (Litoral) corrigiu e relançou edital de teste seletivo, permitindo a inscrição de candidatos pelo site do município na internet e também por e-mail. A medida foi tomada depois que um cidadão, que não mora na cidade, formalizou reclamação junto à Ouvidoria do TCE, informando que só estavam sendo recebidas inscrições presenciais de candidatos. Considerando que as inscrições já estavam abertas, o órgão fiscalizador concedeu prazo de um dia útil para manifestação. Já no dia 5 de junho, a administração municipal informou ao TCE que retificou o edital. O documento passou a prever inscrições pelo site e por e-mail. O prazo foi prorrogado até 13 de junho.

O Instituto Confiancce e a ex-presidente da entidade Cláudia Aparecida Gali foram condenados a devolver, de forma solidária, a soma de R$ 48 mil à prefeitura de Iporã (Noroeste). Eles ainda terão que devolver solidariamente com o ex-prefeito Cássio Murilo Trovo Hidalgo mais R$ 9.730,12, totalizando R$ 58 mil. As contas de 2010 do convênio entre a Oscip e a prefeitura foram julgadas irregulares pelo TCE por falta de comprovação da aplicação dos recursos. 

 

Fonte: Bem Paraná

Avalie esta matéria:
Total de Voto(s): 0 - Média de Voto(s): 0

 

 

Mais FM