Governo estuda substituir frota oficial por aplicativos de transporte | Novo Cantu
PARANÁ

Governo estuda substituir frota oficial por aplicativos de transporte

autor Publicado em 12 de Junho de 2018

 

Governo estuda substituir frota oficial por aplicativos de transporte

 

Para diminuir as despesas, o Governo do Estado estuda substituir parte da frota de veículos utilizados em serviços administrativos por aplicativos de transporte. O edital para a contratação do serviço está sendo preparado pela Secretaria de Estado da Administração e Previdência e deve ser lançado nas próximas semanas. A informação foi confirmada nesta terça-feira (11) pelo secretário da pasta, Fernando Ghignone, durante a reunião do secretariado no Palácio Iguaçu, que contou com a presença da governadora Cida Borghetti.

A governadora afirmou que toda a equipe está comprometida em buscar soluções para reduzir os gastos públicos. “Nossa determinação é melhorar o serviço prestado pelo governo sem onerar os cofres públicos, por isso é importante que cada secretaria faça a sua parte e busque medidas para conter as despesas”, afirmou Cida Borghetti.

A substituição pode restringir o uso, em um primeiro momento, de cerca de 1,3 mil carros da frota do Estado. Os veículos estão lotados em diversos órgãos públicos para realização de serviços administrativos em Curitiba e municípios do entorno e podem dar lugar às plataformas de transporte já regularizadas na região.

O modelo é inspirado no que foi implantado no ano passado pela Prefeitura e pelo Governo de São Paulo. A medida será exclusiva para a frota a administrativa, sem impactar nas viaturas das polícias e Corpo de Bombeiros ou no serviço das ambulâncias.

O governo também prevê criar uma central única de frota para administrar os carros oficiais utilizados por secretários e dirigentes de estatais, que vai disponibilizar os veículos a partir da demanda. “São soluções para otimizar os recursos do Estado. O dinheiro que sobrar pode ser aplicado em outras áreas importantes, como na saúde e educação”, afirmou Ghignone.

utra ação de economia apresentada pelo secretário é nos serviços de telefonia. O Governo do Estado faz uma economia significativa com a migração das ligações de celular convencionais para comunicação por aplicativos como o Whatsapp. “O teto mensal do convênio com a operadora de telefonia é de R$ 6 milhões, mas gastamos cerca de um sexto disso”, explicou Ghignone. “Mais recursos podem ser economizados com a mudança de hábito dos funcionários. Com isso, cumprimos nossa determinação de fazer mais gastando menos”, afirmou o secretário do Desenvolvimento Urbano, Sílvio Barros.

Durante a reunião, a secretária estadual da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, apresentou um balanço dos programas assistenciais do Governo do Estado, como o Família Paranaense, que melhoraram as condições de vida de famílias de 95% dos municípios do Estado.

“São números que superam a nossa expectativa. Em todos os municípios que tiveram benefícios, 75% das famílias melhoraram sua qualidade de vida”, afirmou a secretária. “Não é utopia erradicar a pobreza e a miséria, basta ter determinação e trabalhar com transparência em ações concretas”, ressaltou.

O dado tem como base uma análise feita pela pasta da evolução média do Índice de Vulnerabilidade das Famílias do Paraná (IVF-PR) no período entre 2013 e 2017. O indicador foi desenvolvido pela própria secretaria, em parceria com o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), levando em conta quatro fatores: adequação do domicílio; perfil e composição da família; acesso ao trabalho e renda; e condições de escolaridade.

Segundo o levantamento, em 381 dos 399 municípios do Estado, as famílias apresentaram melhoria nas condições de vida, de escolaridade e de acesso ao trabalho e renda.

No geral, a média de redução do índice médio de vulnerabilidade das famílias foi de 11%, sendo que o município com melhor resultado chegou a reduzir 35%. Em 2013, a média dos índices dos municípios era 0,2743. Quatro anos depois, esse número caiu para 0,2447.

 

Fonte: Agência Estado

Avalie esta matéria:
Total de Voto(s): 0 - Média de Voto(s): 0

 

 

Mais FM