PARANÁ

Aprenda a identificar sintomas iniciais de câncer; De acordo com Oncologista Bruno Scardazzi Pozzi:

autor Publicado em 21 de Setembro de 2017

 

Aprenda a identificar sintomas iniciais de câncer; De acordo com Oncologista Bruno Scardazzi Pozzi:

 

A repentina morte do jornalista Marcelo Rezende, quatro meses após ser diagnosticado com câncer no pâncreas e fígado, teve grande repercussão e gerou uma grande discussão nas redes sociais sobre como é possível identificar ou ao menos desconfiar sobre a existência algum tipo de câncer no organismo e quais são os que têm maior chance de cura. 

O médico Bruno Scardazzi Pozzi, radicado no setor de oncologia do Hospital da Providência, em Apucarana (norte do Paraná), explica que os sintomas inciais da doença são muito genéricos e variam muito para cada tipo de câncer e de pessoa para pessoa. Mas o médico cita alguns exemplos de mudanças no organismo que podem indicar um possível surgimento de neoplasia. 

"Emagrecimento repentino e rápido sem motivo, dores persistentes que não melhoram com tratamento comum, sangramento nas fezes e alterações respiratórias persistentes são sintomas que devem ser levados ao conhecimento de um médico com a maior urgência", alerta.

De acordo com médico, cada tipo de câncer tem manifestações diferentes e há ainda as peculiaridades genéticas de cada paciente. "Um medicamento usado para tratar câncer linfático, por exemplo, não tem eficácia para combater tumor no pâncreas. Essa é a realidade que deve ser esclarecida para a população", frisa Bruno.

   Como se prevenir

O oncologista acrescenta que mais importante do que fazer um diagnóstico do câncer em fase inicial é levar uma vida saudável para prevenir o surgimento da doença. "Evitar vida sedentária e fazer exercícios físicos regularmente, não fumar, adotar dieta alimentar balanceada, evitar a obesidade, a exposição demasiada ao sol proporcionam uma redução de risco real de se ter câncer", ressalta.

Bruzo diz ainda que todas as pessoas deveriam passar por acompanhamento médico periódico compatível com a idade. "Desta forma o médico pode recomendar os exames necessários de prevenção, como colonoscopia, mamogarafia e exames de imagens", destaca. Segundo o médico, atualmente, muitos diagnósticos de câncer têm sido tratados com sucesso. 

Remissão

Alguns especialistas não usam palavra "cura", já que não há certeza de que o câncer desaparecerá para sempre após o tratamento. Eles preferem dizer "remissão", ou seja, uma palavra que represente uma chance de que a doença possa retornar. Em geral, uma pessoa que fica livre do câncer por 5 anos após um diagnóstico tem maiores chances de cura. E para alguns tipos de câncer, existe uma esperança maior de cura. Saiba quais são:

 

Câncer de Próstata

O que faz com que as chances de cura sejam altas? Muitos tumores de próstata crescem lentamente em alguns pacientes. Quando isso acontece, eles não são prejudiciais o suficiente para iniciar o tratamento imediatamente. Muitos homens com câncer de próstata vivem anos sem qualquer problema. 

Quando a cura é menos provável? Quando existe disseminação da doença (metástases). Entretanto, apenas uma pequena porcentagem dos cânceres de próstata pode se disseminar rapidamente para outras partes do corpo. A boa notícia é que os médicos geralmente diagnosticam a maioria dos cânceres de próstata antes que se disseminem.

O rastreamento ajuda? Há duas maneiras principais para diagnosticar o câncer de próstata. Uma é o toque retal, e a segunda é o teste do PSA, que mede os níveis de uma proteína que se apresenta aumentada em homens com câncer de próstata. 

É importante ressaltar que o PSA pode subir por outros motivos além do câncer de próstata, por isso, alguns médicos dizem que homens que têm um risco normal para a doença não deveriam realizar o exame. Converse com seu médico para saber se você tem indicação para o teste. Informe-o também se notar quaisquer problemas, como dificuldade para urinar ou presença de sangue na urina. Esses podem ser sinais e sintomas de câncer ou de outros problemas na próstata.

 

Câncer de Tireoide

O que faz com que as chances de cura sejam boas? A tireoide é uma glândula em forma de borboleta localizada no pescoço e, entre outras funções, é responsável pela produção de hormônios que o corpo precisa para queimar calorias e controlar os batimentos cardíacos. O tipo mais comum de câncer de tireoide é o papilar, que cresce lentamente. 

Mesmo quando os tumores são grandes ou começam a invadir outros tecidos adjacentes, podem ser tratados apenas cirurgicamente, com a retirada da glândula. Após a cirurgia, o paciente deve tomar medicamentos para substituir os hormônios que a tireoide produzia. Atualmente, o diagnóstico desse tipo de câncer está sendo realizado mais precocemente, o que os torna mais fáceis de serem tratados e curados.

Quando a cura é menos provável? Um tipo denominado câncer anaplásico de tireoide tem uma taxa de sobrevida em 5 anos de apenas 7%, mas é muito raro. 

O rastreamento ajuda? Existem exames de triagem recomendados para câncer de tireoide. A maioria das pessoas descobrem que tem um tumor quando eles (ou um médico) sentem um caroço ou inchaço em seu pescoço ou ainda quando fazem um ultrassom por alguma outra razão clínica. Entre em contato com seu médico imediatamente se perceber um caroço no pescoço ou se apresentar alguns sintomas, como dificuldade para respirar ou engolir.

 

Câncer de Testículo

O que faz com que as chances de cura sejam boas? Em estágios iniciais (quando o tumor não se disseminou para outros órgãos), é possível curar este tipo de câncer com cirurgia para retirar um ou ambos os testículos que contém o tumor. Se apenas um testículo for removido, o outro produzirá hormônios em quantidades suficientes para ter relações sexuais e ter filhos. Para estágios mais avançados a cirurgia, radioterapia ou quimioterapia muitas vezes funcionam bem. Os médicos dão crédito à cisplatina (droga quimioterápica introduzida na década de 70), como a responsável pelo aumento das taxas de sobrevida do câncer de testículo avançado.

Quando a cura é menos provável? Existem tratamentos que respondem muito bem, mesmo para o câncer de testículo avançado.

O rastreamento ajuda? Não existem exames de rastreamento para o câncer de testículo. Os homens devem consultar seu médico se sentirem uma protuberância em um testículo ou se um deles se tornar maior que o outro. Estes podem ser sinais precoces de um tumor.

 

Melanoma

O que faz com que as chances de cura sejam boas? Você geralmente pode detectar um câncer de pele melanoma a olho nu e ainda em estágios iniciais. Se não se disseminou além da superfície da pele, os médicos podem remover e curá-lo com cirurgia.

Quando a cura é menos provável? Se não é diagnosticado precocemente, o melanoma provavelmente se disseminou para outras partes do corpo. Uma vez que a doença esteja disseminada, é difícil de ser tratada.

O rastreamento ajuda? Sim. Você pode verificar se sua pele tem manchas grandes, escuras, de formatos diferentes ou sobressalientes. É especialmente importante verificar as costas, o couro cabeludo, os testículos e entre os dedos dos pés. Informe seu médico imediatamente se notar qualquer alteração nessas áreas do corpo. Consulte um dermatologista periodicamente caso você tenha um risco aumentado para o melanoma, por exemplo, se você ou alguém de sua família já teve melanoma.

Câncer de mama

O que faz com que as chances de cura sejam boas? A medicina moderna tem feito grandes progressos contra o câncer de mama. Os médicos hoje sabem mais sobre como diagnosticá-lo e tratá-lo. Isso quer dizer que compreendemos a doença melhor do que nunca. Por exemplo, sabemos que existem mais de 100 subtipos de câncer apenas para o câncer de mama e que os pesquisadores contam com uma série de medicamentos para tratamento desses tipos específicos.

Quando a cura é menos provável? Detectado precocemente, o câncer de mama é mais fácil de tratar e ser curado do que em estágios avançados, quando a doença já está disseminada para outros órgãos. Alguns tipos da doença são também mais tratáveis do que outros. Por exemplo, um tumor de mama "receptor de estrogênio positivo" se beneficiará de medicamentos que diminuem os níveis de estrogênio. Por outro lado, "triplo negativos" tendem a ser mais agressivos e não se beneficiam de terapias alvo.

O rastreamento ajuda? Sim. A mamografia, também denominada mamograma ou mamografia digital, é um raios X das mamas e é realizado para verificar se existem sinais de doença, mesmo na ausência de sintomas ou alterações na mesma. No Brasil, existe uma lei que instrui o início do exame para mulheres a partir dos 50 anos.

Oncologista Bruno Scardazzi Pozzi: "Mais importante é a prevenção" 

 

Fonte: TnOnline

Avalie esta matéria:
Total de Voto(s): 0 - Média de Voto(s): 0

 

 

Mais FM