MUNDO

Papa Francisco faz casamento de comissários de bordo durante voo no Chile

autor Publicado em 18 de Janeiro de 2018

 

Papa ia de Santiago para Iquique, no norte do país. Porta-voz do Vaticano afirmou que a cerimônia é válida, segundo a Reuters.

Papa Francisco faz casamento de comissários de bordo durante voo no Chile

 

O Papa Francisco fez o casamento de um casal de comissários de bordo durante um voo que ia de Santiago para Iquique, no norte do Chile, nesta quinta-feira (18), segundo a Reuters.

Paula Podest Ruiz, de 39 anos, e Carlos Ciuffardi Elorriga, 41, contaram que já tinham se casado no civil, mas tinham programado o casamento no religioso em uma paróquia em Santiago, que ficou muito danificada no terremoto de 2010.

Eles perguntaram se ele abençoaria a união deles, mas o pontífice foi mais além. “Vocês querem que eu faça o casamento de vocês?”, indagou o Papa Francisco.

Apesar da surpresa da proposta, os noivos aceitaram e o papa presidiu uma breve cerimônia na parte dianteira do avião. O presidente da companhia Latam, Ignacio Cueto, foi chamado para ser testemunha.

Como em qualquer casamento, Francisco abençoou as alianças e depois pediu a um dos cardeais que o acompanham para preparar a ata do matrimônio para que pudesse ser um evento legal. "Celebrante: Francisco", lê-se na ata do casamento, preparada por um cardeal, segundo a Efe.

O porta-voz do Vaticano, Greg Burke, afirmou que a cerimônia é válida. “Tudo é oficial”, declarou.

Último dia da visita

O Papa Francisco celebra nesta quinta-feira (18) sua 3ª missa no Chile, desta vez em Playa Lobitos, perto de Iquique, na última etapa de sua visita ao país. Iquique é uma cidade de imigrantes, um dos temas centrais da 6ª visita do Papa à América Latina.

Depois da missa, o santo padre terá um encontro com vítimas da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) e entronizará uma imagem de Maria, que está localizada em La Tirana, a 70 km de Iquique, como "rainha e mãe" do Chile.

Ao contrário de outros países visitados na região em suas cinco viagens anteriores, a do Chile não foi das mais fáceis. O Papa encontrou um país hostil à Igreja católica da América Latina, com uma secularização crescente e malvista pelos abusos sexuais do clero em relação a menores de idade, segundo a France Presse.

Na terça-feira (16), durante seu 1º compromisso oficial na visita ao Chile, o papa disse que é “justo pedir perdão” e que sente “dor e vergonha” diante do “dano irreparável” causado às crianças vítimas de abusos sexuais. Ele também se encontrou com vítimas de abuso sexual cometido por sacerdotes católicos.

Na quarta-feira (17), horas antes da chegada do papa a Temuco (800 km ao sul de Santiago), foram registrados ataques com artefatos incendiários a templos católicos e a três helicópteros de empresas florestais na região de Araucanía, no sul do país.

Segunda etapa da viagem: Peru

Em seguida, Francisco partirá para a segunda etapa de sua viagem, o Peru, onde permanecerá três dias e visitará Puerto Maldonado, em plena Amazônia, Trujillo e Lima, segundo a France Presse.

O pontífice terá a oportunidade de venerar as relíquias de seus santos favoritos no domingo (21), na Catedral de Lima, um dia depois de prestar tributo a três sacerdotes - dois poloneses e um italiano -, assassinados pela guerrilha maoísta do Sendero Luminoso.

 

Fonte: G1

Avalie esta matéria:
Total de Voto(s): 0 - Média de Voto(s): 0

 

 

Supermercado Borgio Rodapé