MUNDO

Defensor do movimento antivacinas é internado com catapora

autor Publicado em 19 de Março de 2019

 

A vacina contra a catapora existe desde 1984.

Defensor do movimento antivacinas é internado com catapora

 

Político do primeiro escalão da Liga, partido de extrema direita da Itália, que tem como líder Matteo Salvini, chefe do governo em Roma, Massimiliano Fedriga classificou como “stalinista” o programa de vacinas obrigatórias contra 12 doenças, estipulado em seu país em 2017.

Massimiliano Fedriga é o principal porta-voz do movimento antivacinas na Itália, mas teve que ser internado e passou cinco dias em um hospital, após contrair catapora.

“Ironicamente”, segundo o jornal italiano La Repubblica, “ele contraiu uma das doenças de cuja vacina pedia o fim”, a catapora. "Estou bem, estou me recuperando em casa", escreveu ele nesta terça-feira (19) em suas redes sociais, depois de passar vários dias sob vigilância médica. Agora, o presidente da região Fruili-Venezia Giulia diz que não apoiará mais movimentos antivacinação.

A mudança de discurso após a internação surpreendeu o jornal italiano. "Eu sempre disse que sou a favor das vacinas, mas, para obter resultados, você tem que entrar em acordo com as famílias, não se impor", disse Fedriga, observando que seus filhos foram vacinados. “Então, por que ele não era?”, questiona o diário, na Itália.

 

Avalie esta matéria:
Total de Voto(s): 1 - Média de Voto(s): 0.00

 

 

Supermercado REAL Rodapé