BRASIL

Em Goiânia, Menino é queimado com ferro quente porque mãe tinha dívida de drogas

autor Publicado em 27 de Janeiro de 2019

 

Em Goiânia, Menino é queimado com ferro quente porque mãe tinha dívida de drogas

 

Um menino de 11 anos foi marcado com um ferro quente após a mãe dele não pagar dívida de drogas, segundo informou o Conselho Tutelar de Goiânia. O garoto foi resgatado pela equipe da região leste da capital junto com a irmã, de 9 anos, e os dois foram levados a um abrigo, nesta sexta-feira (25).

O conselheiro tutelar James da Silva Barbosa contou que recebeu denúncias anônimas dessa situação e foi até a casa das crianças para buscá-las. Ele as levou até o conselho, onde elas foram ouvidas, ao Instituto Médico Legal (IML) onde o menino passou por exames que confirmaram a tortura, e depois ao abrigo.

O garoto foi raptado por esses traficantes que o mantiveram em cárcere privado por três dias, até ele conseguir fugir. [...] A criança relata que foi marcada por ferro quente por duas vezes e que estavam ameaçando degolá-la caso a dívida não fosse paga”, afirmou.

Segundo Barbosa, a mãe das crianças não estava em casa no momento que os irmãos foram resgatados pelo Conselho e o pai delas foi morto a facadas há cerca de cinco anos, também por causa de dívida de drogas.

Ainda de acordo com ele, horas mais tarde a mãe apareceu, confirmou a história do filho e disse que também está sendo ameaçada de morte, mas se recusa a sair de casa.

O menino demonstra muito medo de ser morto sendo degolado, mas ficou feliz em ser abrigado, porque disse que sente que vai estar seguro”, acrescentou.

Conforme o conselheiro, o caso foi registrado na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). A delegada titular da unidade, Paula Meotti, disse que essas situações sempre são investigadas pela Polícia Civil.

 

Falta de estrutura

O conselheiro disse que a urgência do caso exigiu que ele usasse o próprio carro para buscar as crianças, já que não tinha um veículo do conselho disponível. Ainda segundo ele, o veículo chegou horas depois da solicitação.

Imagens feitas na unidade mostram que a estrutura do local está precária, com paredes rachadas e vazamentos.

Outra profissional da unidade disse que a equipe precisa de novos membros para que consigam atender às demandas. “Precisamos de ao menos mais dois administrativos, uma assistente social e uma psicóloga”, avaliou a conselheira Ana Amélia Tavares

A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) informou, por meio de nota, que “possuí uma frota de 6 veículos para atender as demandas dos conselhos tutelares de Goiânia, tendo como déficit 3 motoristas, situação que deve ser regularizada nos próximos 20 dias”.

Também de acordo com o texto, “uma área própria na região está sendo analisada, para sua transferência”, já que o local apresenta problemas estruturais. Sobre a falta de pessoal, a Semas acrescentou que os atendimentos devem ser encaminhados para o Centro de Referência em Assistência Social (Creas) Leste.

 

Fonte: G1 Goiás

Avalie esta matéria:
Total de Voto(s): 1 - Média de Voto(s): 0.00

 

 

Supermercado Borgio Rodapé